29/08/2016

Oportunidade de negócio fácil, rápido e quase sem investimentos. Esses são alguns dos pontos positivos de abrir uma loja virtual. De acordo com o Doutor em Ciências da Comunicação, Vitor Corte Real, o negócio virtual é promissor porque garante visibilidade, agilidade e variedade de produtos e serviços, no entanto é necessário buscar a legalização. A estudante Evelyn Brandão resolveu investir no negócio virtual em 2013 e criou uma página no Facebook. "A gente publica no brechó os produtos por um preço e a pessoa interessada marca um lugar com a gente", explica a ela sobre a ideia do brechó virtual.
 
Ela e as demais estudantes se encontram em locais públicos para negociar roupas, acessórios e outros objetos que estiverem disponíveis. Apesar de ter criado o negócio, Evelyn não interfere na negociação dos produtos, que é feita entre as clientes. Investir no negócio virtual também foi a iniciativa da autônoma Lilian Araújo. Ela, que já foi cliente do brechó virtual conta que resolveu criar o seu próprio negócio virtual com a diferença que é ela mesma é quem disponibiliza os produtos. "Consigo pagar minhas contas e, hoje, eu vivo disso", comenta ela, que diz não ter tido custo para criar o projeto.
 
A estudante Evelyn concorda que o retorno financeiro do brechó virtual é possível. Por causa de problemas financeiros, ela já teve dificuldades para conseguir pagar o documento do carro e encontrou no brechó uma alternativa. Após colocar as roupas para vender, ela adquiriu o dinheiro necessário em duas semanas.(g1)
Fonte: Bahia Econômica

25/08/2016

Nesta sexta-feira (26) serão iniciados os atendimentos da estratégia itinerante Saúde sem Fronteiras Oftalmologia, programa da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Desta vez, o município de Sapeaçu será o anfitrião para os nove municípios da região de Cruz das Almas. Até o dia 28 de agosto, serão disponibilizadas 1.665 consultas oftalmológicas e 500 cirurgias de catarata para um público formado por alunos do Todos pela Alfabetização (TOPA) e a população com idade a partir de 60 anos.

A unidade móvel estará estacionada no Centro de Saúde de Sapeaçu, em frente ao Ginásio de Esportes. O programa itinerante mobilizará uma equipe de profissionais, entre médicos oftalmologistas, anestesiologistas, enfermeiros, técnicos e profissionais de apoio. Para ter acesso aos serviços, o usuário deverá procurar a Secretaria de Saúde de seu município, que ficará responsável pelo seu agendamento para o atendimento. Será preciso levar o Cartão do SUS, RG e o crachá de identificação do usuário.

Para os usuários que passarem por cirurgia de catarata, a Secretaria da Saúde do Estado disponibilizará o colírio para ser usado durante 30 dias. Todos os pacientes operados deverão retornar para avaliação pós-cirúrgica, em 24 horas. Dentro de 30 dias, uma equipe de oftalmologistas retornará ao município de Sapeaçu para assegurar o atendimento de intercorrências, caso elas existam, entre os pacientes atendidos.

O programa Saúde sem Fronteiras – Oftalmologia é uma estratégia itinerante, criada pelo Governo do Estado, via Secretaria da Saúde do Estado, que ao reconhecer vazios assistenciais e baixa cobertura de atendimento em diversos setores da saúde pública, realiza a ação com o objetivo de ampliar o acesso da população aos serviços de oftalmologia.
L.S./M.Tb.909-Ba
/saúde sem fronteiras/Oftalmologia Sapeaçu
Fonte: SESAB

25/08/2016

Com melhor perspectiva para a situação econômica do País, indicador da Fundação Getulio Vargas do mês registra 4ª alta consecutiva e maior valor do ano

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas subiu 2,6 pontos entre julho e agosto, ao passar de 76,7 para 79,3 pontos, o maior desde janeiro de 2015 (81,2 pontos). Essa foi a quarta alta consecutiva do índice, a partir do mínimo histórico, de 64,4 pontos, registrado em abril passado.

“Aproximadamente 90% da alta da confiança dos consumidores nos últimos quatro meses anteriores foi determinada pela melhora das expectativas. Em agosto, no entanto, a maior contribuição veio do aumento da satisfação com a situação presente, um sinal favorável, considerando que houve uma melhora na percepção dos consumidores tanto em relação ao mercado de trabalho quanto à situação financeira das famílias. O resultado dá maior consistência à tendência de recuperação do ICC“, afirmou Viviane Seda Bittencourt, Coordenadora da Sondagem do Consumidor.

A sondagem é realizada pela FGV para monitorar a situação econômica e avalia a pré-disposição dos consumidores para comprar, tendo em vista as perspectivas para a economia. 

Conjuntura atual

O grau de satisfação dos consumidores com a situação presente aumentou pelo segundo mês consecutivo. Após atingir o mínimo histórico em junho, o Índice da Situação Atual (ISA) subiu 3,8 pontos, atingindo 69,5 pontos em agosto, o maior desde setembro passado (69,8 pontos). Já as expectativas melhoraram pelo quarto mês consecutivo: o Índice de Expectativas (IE) avançou 1,6 ponto, atingindo 86,9 pontos, o maior desde dezembro de 2014 (87,2 pontos).

As avaliações dos consumidores brasileiros em relação ao presente melhoraram em relação à situação econômica geral e quanto à situação financeira das famílias. O indicador que mede a satisfação com a situação econômica local foi o quesito que mais influenciou o ICC pelo terceiro mês consecutivo, em agosto, ao subir 3,6 pontos e atingir 76,6 pontos, o maior nível desde maio de 2015 (77,6 pontos).

Situação local

Com relação às expectativas futuras, o indicador que mede o grau de otimismo em relação à Situação Econômica Local Futura aumentou 1,7 ponto ao passar de 109,9 para 111,6 pontos, o maior desde setembro de 2012 (111,9 pontos) após cinco meses de consecutivos em alta.

Recorte de renda

Houve aumento da confiança em todas as quatro classes de renda pesquisadas. A melhora mais expressiva ocorreu entre os consumidores com renda familiar entre R$ 2.100 e R$ 4.800 em que o ICC aumentou 5,2 pontos em agosto e 14,3 pontos no acumulado do trimestre. Para os consumidores de menor poder aquisitivo (renda familiar inferior a R$ 2.100), a confiança aumentou 3 pontos em agosto e acumulou 50% menos do que a faixa citada anteriormente, 7,1 pontos no acumulado do trimestre.

Fonte: Portal Brasil, com informações da FGV
Fonte: Portal Brasil

23/08/2016

Quatro novos projetos de extensão do Instituto Federal da Bahia (Ifba) de Jacobina (a 353 km de Salvador) foram selecionados por meio de edital e receberão, no total, R$ 20 mil para auxiliar nas pesquisas.

Entre os assuntos aprovados pelo edital da Pró-reitoria de Extensão (Proex), está a produção de secadores solares de frutas, com a proposta de, no futuro, trabalhar com a cristalização de frutas e produção de compotas, aumentando o tempo de conservação dos alimentos.

Violência contra a mulher – Rompendo o silêncio e empoderando corpos é outro tema de projeto, assim como a divulgação científica na área de mineração e a socialização entre a comunidade da programação de computadores para a rede pública.

Conforme o professor de engenharia de minas, coordenador de extensão do campus, Jonei Marques, embora outros projetos de extensão já estejam em andamento no Ifba de Jacobina, estes são os  primeiros aprovados em edital, que terão recursos específicos para esta finalidade.

Ele comemorou que,  dos cinco projetos encaminhados, quatro foram selecionados. “Todos têm a função de melhorar a vida das pessoas da região. A intenção dos projetos é aproximar a instituição da comunidade”, afirmou.

Marques salientou, ainda,  que a média dos alunos envolvidos tem entre 14 e 18 anos e “que, depois desta experiência, verão a realidade à  volta com outro olhar”.

Meta

Segundo o professor, a meta principal “é que estes estudantes saiam da condição de observadores passivos para agentes modificadores da comunidade em que vivem”. Os alunos envolvidos fazem parte dos cursos de mineração, informática e eletromecânica, entre outros existentes na instituição de nível médio/técnico, subsequente e superior.

Participam dos projetos 17 estudantes, 14 professores e dois técnico-administrativos. Até o final do ano, serão pagos  cerca de R$ 20 mil só em bolsas para alunos que estarão em ação. Os quatro projetos serão concluídos em dezembro. Além destes, mais nove projetos de extensão estão em andamento  no campus Jacobina, no curso de libras, artes cênicas e outros. (Fonte: A Tarde).
Fonte: UPB

16/08/2016

Serão disputados 5.568 cargos de prefeitos e 57. 931 de vereadores nestas eleições municipais. Esses dados foram informados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelos cartórios eleitorais de todo o Brasil. Minas Gerais está em primeiro lugar em oferta de vagas, com 853 para prefeitos e 8481 para vereadores. Em segundo lugar está o estado de São Paulo com 645 vagas para prefeitos e 6.985 para vereadores.
 
O artigo 29 da Constituição Federal, juntamente com a Emenda 58/2009 define no inciso IV apenas um número máximo de vereadores conforme o número de habitantes do Município. A quantidade das vagas para vereador é determinado pela quantidade de habitantes, em conjunto com a Lei Orgânica de cada Município. Por exemplo, em uma suposto Município com 125 mil habitantes a lei permite até 19 vereadores, mas a Lei Orgânica do Município pode autorizar apenas 18, por não ter recursos financeiros para suportar mais.
 
Propaganda eleitoral
A propaganda eleitoral nas ruas e na internet está autorizada a partir desta terça-feira, 16 de agosto, de acordo com as regras estabelecidas pela Justiça Eleitoral. Os candidatos aos cargos de prefeito e vereador nas eleições de outubro podem participar de carreatas, distribuir panfletos e usar carros de som das 8h às 22h. Também estão permitidos comícios das 8h às 24h. A campanha vai até 1.º de outubro, um dia antes do primeiro turno da eleições.
 
Registro de candidatura
Foi divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o número parcial de 485.268 mil pedidos de registros de candidaturas. O número final ainda será divulgado após os juízes eleitorais julgarem os pedidos de registro. Eles podem ser indeferidos se os candidatos não cumprirem os requisitos legais, entre eles estar elegível pela Lei da Ficha Limpa. A norma impede que pessoas condenadas por órgãos colegiados disputem eleições pelo prazo de oito anos.
 
Recursos financeiros
Serão usadas novas regras para fiscalizar os recursos empregados nas campanhas dos candidatos. De acordo com a reforma eleitoral aprovada pelo Congresso em 2015, os partidos e coligações devem prestar contas aos tribunais regionais eleitorais (TREs) a cada 72 horas. Os dados poderão ser consultados no site do TSE.
 
Pela nova norma, os candidatos também estão proibidos de receber doações de empresas e só poderão ser financiados por pessoas físicas e recursos do Fundo Partidário. As doações de simpatizantes dos candidatos só podem ser feitas por meio de recibo e declaradas no Imposto de Renda. As “vaquinhas virtuais” foram vetadas pelo TSE.
 
Da Agência CNM, com informações do TSE e da Agência Brasil
Fonte: CNM

16/08/2016

Ainda não deu para soltar os foguetes, mas os empresários da construção civil na Bahia já comemoram a volta dos investimentos e, consequentemente da geração de empregos com o anúncio do Governo Federal, na semana passada, da retomada do programa Minha Casa Minha Vida, que deverá ter, em todo o País, aproximadamente 40 mil unidades voltadas para a faixa 1,5, que seria aquela destinada ás famílias com renda em torno de R$ 1.200 a até R$ 2.350.

“As empresas já estão prontas, com projetos engatilhados e com terrenos prontos p ara as obras. Resta apenas a Caixa definir os critérios do financiamento para que se inicie o processo de construção”, comemorou o presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi) Luciano Muricy Fontes. Ele disse que a faixa de 1,5 do programa Minha Casa Minha Vida tem demanda suficiente para absorver as quatro mil unidades que deverão ser construídas na Bahia.

Na última quinta-feira, em Brasília, mais de 800 representantes da indústria da Construção Civil de todo o País se reuniram com o presidente interino Michel Temer para debater a crise no setor. O encontro para discutir estratégias viáveis para o resgate do crescimento e dar apoio às medidas aplicadas pelo governo que levem à retomada dos investimentos no setor.

Foi proposta a criação de um fórum permanente de diálogo entre a Presidência da República e representantes da construção civil, mas o mais importante foi o anúncio de que o Governo federal vai contratar 40 mil unidades populares da faixa 1,5 do Programa Minha Casa Minha Vida, que atende famílias com renda de até R$ 2.350,00, com subsídio de até R$ 45 mil. “Nesse período difícil, é importante que sejam definidas propostas para alavancar a construção civil que é uma dos que mais emprega e contribui para movimentar a economia do País”, afirma Muricy Fontes.

Faixa/renda  

O Programa Minha Casa Minha Vida é dividido em três faixas de renda. A primeira delas é destinada a famílias com renda de até  R$ 1.800,00: para a sua família, a Caixa oferece ainda mais vantagens. Conte com um financiamento em até 120 meses, com prestações mensais de 5% da renda bruta da família, sendo o valor mínimo da parcela de    R$ 25,00. 

O Faixa 2, destinado a famílias com renda entre R$ 2.351,00 e 3.600,00, e o Faixa 3 é destinado a famílias com renda bruta mensal acima de R$ 3.600,00 e até R$ 6.500,00, com condições especiais de taxas de juros até 8,16% ao ano A Faixa 1,5, é destinada a famílias que têm renda entre R$ 1.200 a R$ 2.350, com subsídios de até R$ 45 mil. “É essa faixa que estava faltando e que vai permitir a alavancagem do setor”, disse Muricy.

Conforme explicou o presidente da Ademi, na Faixa 1, voltada para as famílias de baixa renda, os apartamentos têm preço médio de R$ 70 mil. Já na faixa 2 esse valor aumenta para 120 mil em média, e na faixa 3 pode chegar a R$ 180 mil. Na faixa 1,5, os imóveis têm preço intermediado entre as faixas 1 e 2 e as famílias têm o perfil de renda que se enquadra no programa, havendo, segundo avaliação da Ademi, uma grande demanda no mercado imobiliário.

No encontro em Brasília, o Governo Federal se comprometeu a contratar até 40 mil unidades habitacionais, com investimentos da ordem de R$ 3,8 bilhões até o final deste ano. 

Para o próximo ano, foi apresentado aos empresários do setor, uma projeção de  orçamento de R$ 7 bilhões de recursos do FGTS para novas contratações, fixando como meta a contratação de 600 mil unidades.

O Governo Federal definiu ainda que a Faixa 1 do MCMV, além das 4.232 unidades que já foram contratadas este ano, também irá retomar outras 10.609 unidades habitacionais desse segmento do programa que estavam paralisadas. A decisão do governo é de, primeiro, terminar as obras de casas e apartamentos que estão paradas.

Ao todo, 35 mil unidades dessa faixa estão nessa situação. A previsão é que as obras sejam concluídas em até sete meses. ”Claro que o processo de retomada das obras e do emprego é gradual, mas é uma notícia boa, pois está embasada em ações concretas que nos permitem comemorar”, disse Luciano Muricy.
Fonte: Tribuna da Bahia

Copyright 2012. Todos direitos Reservados. IM Publicações - Publicações Oficiais