01/12/2016

Criar um política nacional de combate ao desperdício de alimentos é o que propõe matéria em tramitação no Senado Federal. A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) da Casa aprovou substitutivo ao Projeto de Lei (PLS) 672/2015, nesta quarta-feira, 30 de novembro. O texto será submetido a turno suplementar na comissão e, confirmada a aprovação, segue para deliberação do Plenário. 

O substitutivo de autoria do senador Lasier Martins (PDT-RS) determina que estabelecimentos como restaurantes firmem contratos de doação a organizações de natureza social dedicadas à coleta e distribuição de alimentos e refeições. Também prevê a doação ou venda a empresas dedicadas à produção de ração animal e à compostagem, e isenta o doador de responsabilidade por dano ocasionado pelo consumo do alimento, desde que não caracterize dolo e negligência. 

De acordo com o texto, é considerado desperdício de alimentos o descarte voluntário decorrente de vencimento do prazo de validade para venda; dos danos à embalagem; e de produtos in natura com aspecto comercialmente indesejável ou parcialmente danificado, mas que mantenham suas propriedades nutricionais e sua segurança sanitária. 

A justificativa da matéria destaca que o Brasil é o quarto produtor de alimentos do mundo, 25,7% a mais do que necessita para alimentar a sua população. Mas, vão para o lixo 26,3 milhões de toneladas de alimentos, todo ano. Segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), a maior perda é de frutas e hortaliças, 45%. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) aponta que 10% das perdas acontecem no campo, 50% no manuseio e transporte, 30% em centrais de abastecimento e 10% nos supermercados e consumidores. 

Agência CNM, com informações da Agência Senado
Fonte: CNM

01/12/2016

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), visando o atendimento de necessidades de serviço temporário e excepcional, abriu inscrições para processo seletivo simplificado para contratação de farmacêuticos. O processo seletivo visa preencher 42 vagas, através de contratação em Regime Especial de Direito Administrativo (REDA), com o objetivo de reestruturar as farmácias de dispensação do componente especializado (alto custo) da assistência farmacêutica, em Núcleos Regionais e Bases Operacionais de Saúde.

O edital do processo seletivo foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje (1º/12). As inscrições podem ser feitas a partir do próximo dia 6 e até 15 de dezembro, pela internet, através do site www.selecao.ba.gov.br, devendo o candidato preencher o cadastro para inscrição e a ficha de inscrição obrigatória. O processo seletivo simplificado será constituído de uma única etapa, Análise Curricular, de caráter eliminatório e classificatório, aplicada à função temporária. A contratação será pelo prazo determinado de até 24 meses, com possibilidade de renovação por igual período, uma única vez.

Os candidatos devem apresentar diploma devidamente registrado, de conclusão de curso superior em Farmácia, em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), e registro no Conselho de Classe.

A remuneração para a função temporária de farmacêutico é constituída pelo vencimento básico no valor de R$ 1.003,96, acrescido de Gratificação de Incentivo ao Desempenho (GID), mínima, no valor de R$ 2.012,72, perfazendo um total de R$ 3.016,68, podendo ser acrescida à remuneração adicional de insalubridade, observada a legislação específica.

Os candidatos classificados vão desenvolver atividades na área de medicamentos e correlatos, desde a seleção, programação, aquisição, distribuição, dispensação, garantia da qualidade dos produtos e serviços; acompanhamento e avaliação da sua utilização; participar de grupos de trabalho e comissões, de acordo com a necessidade do serviço; realizar atividades de farmacovigilância, de ações de saúde coletiva e educação permanente em saúde; supervisionar as atividades desenvolvidas no setor pelo apoio administrativo, coordenar as atividades de processamento das Autorizações de Procedimento de Alta Complexidade (APAC) de medicamentos, entre outras.

Localidades

As vagas oferecidas no Processo Seletivo Simplificado serão distribuídas nas seguintes localidades: Amargosa, Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Mundo Novo, Itaberaba, Seabra, Serrinha, Alagoinhas, Cícero Dantas, Ilhéus, Jequié, Teixeira de Freitas, Paulo Afonso, Senhor do Bonfim, Juazeiro, Jacobina, Boquira, Brumado, Caetité, Barreiras, Ibotirama, Santa Maria da Vitória, Salvador, Eunápolis, Gandu, Itapetinga e Guanambi.

A.G. Mtb 696/Ba
Cursos e concursos/redafarmácia
Fonte: SESAB

21/11/2016

Plano faz parte da reestruturação do banco; ainda está previsto um plano de aposentadoria incentivada a funcionários

O presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, disse nesta segunda-feira, 21, que a reestruturação do banco - com o fechamento de agências e plano de aposentadoria incentivada a funcionários - é essencial para que a instituição consiga alcançar 9,5% de capital principal em janeiro de 2019.
O índice é uma exigência das novas regras de Basileia 3, acordo internacional que mede a relação entre o capital de um banco e o volume de empréstimos.

Atualmente, segundo Caffarelli, o nível de capital principal do banco é de 9,07%. "Essas medidas têm um papel significativo nesse movimento.
Temos que melhorar nossa rentabilidade, cortar despesas e focar na constituição de um índice nos moldes requeridos sem contar com aportes do Tesouro", afirmou. 

O presidente do BB disse que, por uma questão prudencial, o banco quer se antecipar à data da exigência e pretende alcançar os 9,5% em julho do ano que vem. "Estamos trabalhando nesse processo do capital sem contar com efeitos extraordinários, como a venda de ativos", afirmou.

Atualmente, a parte dos acionistas no patrimônio exigido é de 4,7%, mas, pelas regras de Basileia 3, esse piso ficará entre 7% e 9,5%. Esse adicional de capital próprio vai fazer com que o índice de Basileia - atualmente em 11% - chegue a 13% em 2019.

Caffarelli disse que o índice de capital principal do banco vem aumentando ao longo dos últimos meses. Em setembro de 2015 era de 8,07%, em março deste ano aumentou para 8,26% e junho passado chegou a 8,42%.
Fonte: Tribuna da Bahia

16/11/2016

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou nesta quarta-feira (16) que o Banco Central tem espaço para emitir contratos de "swap cambial" para o mercado financeiro, instrumentos que funcionam como um venda de dólares no mercado futuro, o que ajuda a tranquilizar os agentes da economia.
 
Ele observou que o estoque (saldo total) de contratos de "swap cambial", que já somou mais de US$ 100 bilhões no passado, atualmente está ao redor de US$ 25 bilhões - o que permite uma maior "constância" nas intervenções no câmbio. Ao vender contratos de swaps cambiais no mercado futuro (derivativos), o BC supre a oferta dos bancos e isso diminui a pressão de alta do dólar no mercado à vista da moeda norte-americana.
 
"Fomos cautelosos nos últimos meses. Baixamos o estoque de swaps e isso permite que tenhamos mais cosntancia na intervenção", afirmou Ilan Goldfajn na teleconferência com a imprensa internacional. Nos últimos dias, o Banco Central não somente retomou a chamada "rolagem" dos swaps cambiais, ou seja, emitindo contratos para fazer frente aos que estão vencendo, como também passou colocar mais contratos em mercado.
 
Citando os eventos recentes da economia mundial (vitória de Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos), Ilan Goldfajn afirmou que é "natural" ver alguma volatilidade no mercado - ou seja, sobe e desce de cotações. Desde a confirmação da vitória de Trump, o dólar tem operado pressionado no Brasil, e em outras economias emergentes, e as bolsas de valores têm registrado perdas.
Fonte: Bahia Economica

10/11/2016

Jogo exige dos usuários que cumpram tarefas para prevenir a proliferação do mosquito transmissor do zika vírus

O combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya ganhou mais uma ferramenta com o lançamento do aplicativo Desafio Aedes pelo Ministério da Educação. Trata-se de um jogo que exige dos usuários o cumprimento de tarefas que previnem a proliferação do mosquito.

Os estudantes vencedores do concurso Pesquisar e Conhecer: Para combater o Aedes aegypti, também promovido pelo MEC, testaram e aprovaram o aplicativo.

Desenvolvido pelo Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) do MEC, o aplicativo estará disponível nas plataformas IOS e Android já no final de novembro. O jogo desafia os participantes a destruir virtualmente os focos do mosquito, seguindo critérios já conhecidos, como a eliminação de água parada e a limpeza de locais com entulhos e lixo.

Jogo colaborativo

A secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, Ivana de Siqueira, explica que a intenção do jogo “é seguir com o trabalho coletivo, de forma lúdica, mobilizando a rede de ensino para as práticas que colaboram para o controle do inseto em diferentes regiões do País”.

“Os estudantes gostaram muito porque é uma forma lúdica de interagir. A tecnologia cria um processo colaborativo entre eles, porque o trabalho é coletivo”, explica Ivana.

Para as estudantes da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTPR), Fernanda Nunes, Juliana Freitas e Vassula Paiva, a ferramenta vai ser muito útil. Há três anos as jovens realizam um projeto de combate aos insetos, espalhando pelo campus universitário, em pontos estratégicos, armadilhas para coleta dos ovos.

Pela contagem, são identificados o período do ano com maior incidência da doença. “Esse aplicativo vai ser uma ferramenta a mais para levarmos adiante nosso projeto”, afirma Juliana, 18 anos.

Eduardo Leite, 13 anos, foi outro estudante que aprovou a utilização do aplicativo na hora de aprender. Aluno da Escola Primeiro Passo, em Rio Branco, o menino garante que, com tecnologia, os jovens vão querer aprender mais. “Muita gente vê o uso da tecnologia para ensinar como uma coisa ruim, por exemplo, minha mãe não gosta muito que eu use o celular”, comenta. Segundo ele, "as crianças não gostam de decorar, elas gostam de aprender jogando”, garante Eduardo.
Fonte: Portal Brasil

08/11/2016

O Presidente da Fundação Nacional da Saúde – Funasa, Henrique Pires, esteve pessoalmente no gabinete do Senador Raimundo Lira (PMDB-PB), em Brasília, para agradecer ao parlamentar paraibano que, na condição de Relator das emendas à proposta de Lei Orçamentária (PLOA) 2017 na Comissão de Assuntos Sociais – CAS do Senado Federal, destinou 295 milhões ao órgão.

A destinação é para a implantação, ampliação e melhoria de sistemas públicos de abastecimento de água em cidades com até 50 mil habitantes. Ao optar pela emenda, Lira lembrou que as pequenas cidades do Nordeste sofrem com o colapso no abastecimento de água.

Henrique Pires disse que o gesto do Senador tem grande significado para os municípios. “Quero agradecer, em nome da Funasa, pela sensibilidade do senador Raimundo Lira. Foram apresentadas 179 emendas na CAS e ele escolheu 4. Das quatro, uma é direcionada para a Funasa, no valor de R$ 295 milhões. Isso é muito importante para o Nordeste, para a Paraíba, para os pequenos municípios. Este é um fato relevante”, disse. (Fonte: Araruana On Line).
Fonte: UPB

Copyright 2012. Todos direitos Reservados. IM Publicações - Publicações Oficiais